Entrevista Milene Abla Scala, Vice-presidente da AsBEA – Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura.

Para falar sobre a importância do desenvolvimento de smart cities no Brasil, o Connected Smart Cities entrevistou Milene Abla Scala, Vice-presidente da AsBEA – Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura.

Milene Abla Scala cita que, no Brasil, a taxa de urbanização (percentagem da população da área urbana em relação à população total) praticamente dobrou nos últimos 50 anos chegando a 84% em 2010 (era 44% em 1960), conforme dados do IBGE. A população urbana mundial apresentou crescimento ainda maior do que o Brasil, registrando 54% em 65 anos conforme relatório Rics Future de 2015. Este mesmo documento ainda prevê um crescimento de 66% da população urbana mundial até 2050. Esta concentração intensa trás um descompasso natural entre a infraestrutura existente e a necessária para garantir a qualidade de vida nos grandes centros urbanos.

“A apropriação das tecnologias disponíveis aprimora o processo de planejamento visando o desenvolvimento e a melhoria da qualidade de vida. Em momentos críticos como o que estamos passando, é assertivo e eficaz a definição de estratégias baseadas em dados que mostrem um caminho critico e estratégico para garantir a continuidade do desenvolvimento. Lembrando que as estratégias devem ser estabelecidas regionalmente e considerando as condições de governança, administração pública, sustentabilidade e planejamento urbano de  cada região. É importante que o planejamento local esteja alinhado ao nacional, ampliando ainda mais desafios em virtude de o Brasil ser um país continental”, comenta.

A arquiteta também abordou o caminho para o desenvolvimento de smart cities no Brasil, dentro do atual contexto socioeconômico. “Como todo trabalho técnico-cientifico, o primeiro passo deve ser elaborar um diagnóstico que estabeleça precisamente as condições atuais e sirva para moldar o futuro, com base nas características locais da população, economia, governança, mobilidade, meio ambiente e habitabilidade, apropriando-se das tecnologias disponíveis para potencializar este desenvolvimento”, afirma Milene Abla Scala.

Já sobre a importância de um evento como o Connected Smart Cities, conclui: “O evento envolve empresas, entidades e governos criando um fórum de discussão com troca de informações que deve trazer a difusão de ideias inovadoras para colocar em pratica novas ações, que tornem as cidades brasileiras capazes de entender e equacionar seus problemas, solucionando-os com base na tecnologia adequada para gerar qualidade de vida e sustentabilidade”.

Saiba Mais sobre o Connected Smart Cities

A 3ª edição do evento aconteceu em 2017, na capital paulista. Este ano, o encontro será realizado nos dias 4 e 5 de setembro, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo/SP.

Paralelamente acontecem os Encontros regionais com a participação de empresas, entidades e governo, tendo como objetivo encontrar soluções inovadoras com foco em cidades mais inteligentes e conectadas.

A Próxima Edição será o Encontro Regional Centro-Oeste – Cidade Anfitriã: Brasília/DF, que será realizado no dia 19 de abril.

 

Para mais Informações, clique aqui